quinta-feira

Pequeno recado


Quando você se aninhou perto eu dessa vez, pensei...tenho para oferecer o meu carinho e alguma poesia.
Venho tentado fazer isso, te dar, te entregar o que vens buscar. Com minhas mãos, com minhas palavras, quando podes vir, quando queres ganhar.

O bem que isso me faz, isso eu sei.
Algum bem isso te traz ou não estarias vindo receber.

É natural acontecer que um de nós venha querer alguma coisa mais, e que um de nós ganhe do outro algo que nem mesmo queria receber. Ou peça o que o outro não tem pra entregar.

Quando isso acontece (e acontece várias vezes) é que se instala entre duas pessoas aquilo que as faz se machucarem, se desentenderem, sem saber o que fazer com aquela coisa que o outro entregou sem que se tenha pedido, ou com aquilo que não entregamos porque não tínhamos pra dar.

Assim sendo, meu encanto
preciso te perguntar a resposta que nem sei se tens para dizer:

diz o que que é que você quer de mim, saber isso é o que eu quero agora de você.
O resto, lá fora, não tem importância alguma neste momento, pois o que importa do mundo está aqui dentro, entre a tua mão e a minha.

No entanto, doce poesia, se não é claro o que queres de mim, se não tens como explicar o que de mim queres, façamos o seguinte:

entre nacos de silêncios e gemidos, façamos o amor do jeito mais intenso e leve que nos seja permitido alcançar.
Do jeito mais bonito que somos capazes.
Então, o mundo irá parar com todas as suas máquinas e quinquilharias, para escutar o que nós dois temos a dizer.

Pode ser, meu poema?


Mário Pirata
Poeta & brincadeiro - um marmanjo desajeitado, descatador de caramujos, descascador de sonhares - mais ou menos um encantador de histórias, um falador/fazedor de poemas.




2 comentários:

mario pirata disse...

beijo no coração, mocinha!

Cris disse...

Ei prima tem um fã, rsrs q maximo

 
Suave